PCMG integra ação contra exploração sexual de crianças e adolescentes

PCMG integra ação contra exploração sexual de crianças e adolescentes

Para reprimir e prevenir o crime de exploração sexual de crianças e adolescentes, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em conjunto com outras forças de segurança e instituições parceiras, participa da operação Caminhos Seguros. Deflagrada em todo o estado desde o dia 2 de maio, a operação se estenderá até a próxima segunda-feira (20/5).

Nesta quinta-feira (16/5), uma ação de conscientização foi realizada na região da rua Guaicurus, no Centro de Belo Horizonte, marcando o "Dia D" da operação. Representantes de todas as instituições formaram equipes integradas para distribuir panfletos e fixar cartazes com informações sobre o combate à exploração sexual infantil e incentivar denúncias anônimas através do Disque Denúncia Anônima 181.

Coordenada pela Superintendência de Integração e Planejamento Operacional (Sipo) da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), a Operação Caminhos Seguros envolve não apenas a Polícia Civil, mas também a Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Ministério Público e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).

"A nossa intenção é colar cartazes e distribuir panfletos para o comércio local. Como aqui é uma área que sabemos que pode existir a possibilidade de crianças e adolescentes estarem sendo exploradas sexualmente, queremos trazer os comerciantes para serem nossos parceiros e denunciarem, ajudando a polícia a identificar e responsabilizar autores deste tipo de crime", disse a chefe da Divisão Especializada em Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad), delegada Renata Ribeiro.

Bernardo Naves, superintendente de Integração e Planejamento Operacional da Sejusp, destaca o compromisso de todas as instituições envolvidas em conscientizar a população sobre a importância de combater esse tipo de crime e denunciar. Ele ressalta que a operação conta com ações distribuídas por todo o estado, realizadas de forma repressiva e preventiva, com esforços integrados das forças de segurança e demais órgãos.

As áreas de interesse operacional da operação incluem rodovias federais e estaduais, além de locais como casas noturnas, bares, estabelecimentos de hospedagem e postos de combustível, definidos pelos órgãos envolvidos. A Sejusp também é responsável por receber denúncias da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos e Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, repassando para as instituições responsáveis pela apuração.

*Texto adaptado de Sejusp.